Marco legal da biodiversidade, O: proteção do patrimônio genético e dos conhecimentos tradicionais associados e suas inconvencionalidades no contexto do colonialismo biocultural

Código: 9788594591128
12x de R$ 5,41
R$ 65,00
ou R$ 61,75 via Depósito
Comprar Estoque: Disponível
    • 1x de R$ 65,00 sem juros
    • 2x de R$ 32,50 sem juros
    • 3x de R$ 21,66 sem juros
    • 4x de R$ 16,25 sem juros
    • 5x de R$ 13,00 sem juros
    • 6x de R$ 10,83 sem juros
    • 7x de R$ 9,28 sem juros
    • 8x de R$ 8,12 sem juros
    • 9x de R$ 7,22 sem juros
    • 10x de R$ 6,50 sem juros
    • 11x de R$ 5,90 sem juros
    • 12x de R$ 5,41 sem juros
    • 1x de R$ 65,00 sem juros
    • 2x de R$ 32,50 sem juros
    • 3x de R$ 21,66 sem juros
    • 4x de R$ 16,25 sem juros
    • 5x de R$ 13,00 sem juros
    • 6x de R$ 10,83 sem juros
    • 7x de R$ 9,28 sem juros
    • 8x de R$ 8,12 sem juros
    • 9x de R$ 7,22 sem juros
    • 10x de R$ 6,50 sem juros
    • 11x de R$ 5,90 sem juros
    • 12x de R$ 5,41 sem juros
  • R$ 61,75 Deposito
  • R$ 65,00 Boleto Bancário
  • R$ 65,00 American Express, Visa, Diners, Mastercard, Hipercard, Elo
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

João Paulo Rocha Miranda

174 páginas
ISBN 978-85-9459-112-8

A investigação discute o que o autor nomina de colonialismo biocultural, à luz do papel de grandes corporações na apropriação do patrimônio genético e cultural de povos indígenas e comunidades tradicionais sem o devido consentimento prévio, processo legitimado pela Lei nº 13.123/2015 e que o autor demonstra ser incompatível com as obrigações de direitos humanos assumidas pelo Estado brasileiro na seara internacional.
Para fundamentar o seu estudo, o autor toma como base aquilo que nominamos controle difuso de convencionalidade, que é o modo pelo qual o Poder Judiciário invalida determinada norma interna por incompatibilidade com o que determinam os tratados internacionais de direitos humanos ratificados e em vigor no Estado. A partir disso, o estudo confronta a Lei nº 13.123/2015 com os instrumentos internacionais de direitos humanos, concluindo pela sua inconvencionalidade em diversos pontos.
O que o leitor encontrará neste livro é um estudo sobre como os povos indígenas e comunidades tradicionais têm sido preteridos pela legislação interna na garantia de direitos seus internacionalmente reconhecidos, bem assim a maneira pela qual o Poder Judiciário deverá assegurar – pela via do controle de convencionalidade – tais direitos de cunho internacional a toda essa população, para que não se coloque em risco a segurança alimentar, farmacológica, agrícola e genética desses povos e comunidades.

VALERIO DE OLIVEIRA MAZZUOLI

12x de R$ 5,41
R$ 65,00
ou R$ 61,75 via Depósito
Comprar Estoque: Disponível
Pague com
  • PayPal
  • Depósito Bancário
  • PagSeguro
Selos
  • Site Seguro

Editora Liber Ars Ltda. - CNPJ: 13.794.606/0001-98 © Todos os direitos reservados. 2018