Sobre a exceção humana: cartas a Jung, Lacan, Schmitt...

Código: 9788564783140
12x de R$ 4,83
R$ 58,00
ou R$ 55,10 via Depósito
Comprar Estoque: Disponível
    • 1x de R$ 58,00 sem juros
    • 2x de R$ 29,00 sem juros
    • 3x de R$ 19,33 sem juros
    • 4x de R$ 14,50 sem juros
    • 5x de R$ 11,60 sem juros
    • 6x de R$ 9,66 sem juros
    • 7x de R$ 8,28 sem juros
    • 8x de R$ 7,25 sem juros
    • 9x de R$ 6,44 sem juros
    • 10x de R$ 5,80 sem juros
    • 11x de R$ 5,27 sem juros
    • 12x de R$ 4,83 sem juros
    • 1x de R$ 58,00 sem juros
    • 2x de R$ 29,00 sem juros
    • 3x de R$ 19,33 sem juros
    • 4x de R$ 14,50 sem juros
    • 5x de R$ 11,60 sem juros
    • 6x de R$ 9,66 sem juros
    • 7x de R$ 8,28 sem juros
    • 8x de R$ 7,25 sem juros
    • 9x de R$ 6,44 sem juros
    • 10x de R$ 5,80 sem juros
    • 11x de R$ 5,27 sem juros
    • 12x de R$ 4,83 sem juros
  • R$ 55,10 Deposito
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

Autor: João Carlos Galvão Jr.

Prefácio de Joel Birman

ISBN: 978-85-64783-14-0

Páginas: 296

Neste trabalho teórico de desconstrução se conjuga seguramente com uma perspectiva genealógica, de forma que é a genealogia da soberania que está aqui também em pauta. No que tange a isso, é a referência à Nietzsche que delineia as trilhas desta investigação, na sua incidência diferencial sobre os discursos teóricos de Foucault, Benjamin e Derrida, na medida que a articulação dos registros da vida e do poder seriam a condição de possibilidade para que a desconstrução da soberania se cônjuge com a genealogia desta. [...]

O autor se volta para a psicanálise no seu percurso teórico, seja como instrumento de análise seja como objeto teórico inscrito no campo da soberania. Se os registros do inconsciente e das intensidades, subjacentes aos campos da linguagem e da vida, são operadores teóricos decisivos para a leitura da soberania, por um lado, aqueles se inscrevem também no campo da incidência desta, pelo outro. Assim, as cartas do jogo psicanalítico são embaralhados, destacando-se Freud, num pólo deste campo, e Jung e Lacan, no outro pólo. Com efeito, se Freud privilegiou o registro das intensidades, Jung e Lacan, em contrapartida, privilegiaram os registros da imagem e da linguagem fonética. Vale dizer, o que o autor enuncia é que a soberania regularia o inconsciente, seja pela via das imagens seja pela da linguagem. (Joel Birman)

12x de R$ 4,83
R$ 58,00
ou R$ 55,10 via Depósito
Comprar Estoque: Disponível
Pague com
  • PayPal
  • Depósito Bancário
  • PagSeguro
Selos
  • Site Seguro

Editora Liber Ars Ltda. - CNPJ: 13.794.606/0001-98 © Todos os direitos reservados. 2018